Clio europeu terá cabeçotes fabricados no Brasil

Clio europeu terá cabeçotes fabricados no Brasil

Além da Volkswagen, a Renault é outra grande mondadora que aproveita o momento cambial brasileiro favorável para exportar peças para a Europa. Conforme anunciado pela marca francesa, os cabeçotes produzidos no Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais (PR), estão sendo envidados à fábrica de motores de Douvrin, na França. Eles serão usados para compor o motor 1.2 de diversos modelos da marca. Entre eles, o Dacia Logan, Sandero, e Clio.

Carros renault curitiba

Com essa medida, a Renault explica que a produção de motores na montadora paranaense será dobrada, passando de 2.000 unidades por semana para 4.000 unidades. Com isso, a principal conseqüência é que será mantido o terceiro turno de produção da área de usinagem de cabeçotes. As exportações aumentarão a produção em 100%

Pertencente à família D4F, o propulsor 1.2 é produzido na França e de lá enviado para outras fábricas do grupo Renault na Europa. O bloco faz parte ainda de um acordo de cooperação entre os grupos Renault e PSA.

Este é um dos maiores projetos de exportação da Curitiba Motores (CMO) que fabrica os motores 1.0 16V, 1.2 16V(exportado para  a Argentina) da família D, 1.6 e 1.6 16V da família K e o 2.nada 16V da família F, apenas o MR 2.nada 16V do Fluence e o 2.3 Turbo Diesel da Master é importado da França e o MR é importado da Coréia do Sul.